domingo, 21 de março de 2010

Homem, esse ser eternamente adolescente

Eu hoje acordei com um pensamento muito daring. Vejam lá, posso estar errada mas é uma boa tese. É assim: a maioria das mulheres desconhece uma verdade enorme a respeito dos homens. Desconhece várias, mas essa a que me refiro é enorme. Qual seja, o homem é um ser adolescente a vida inteira. Isso. Não importa sua posição na vida, ele pode até disfarçar mas, como diz o Chico Buarque, procurando bem, debaixo da carapaça do ditador, do CEO phodao, do chefe dos cambau ;) deste ou daquele, está um ser ávido de aventura, novidade, sonhos e fantasias típicas da adolescência.

Alguém, alguéns, quem primeiro começou a descrever a estória da diferença dos gêneros, deu uma errada de mão e tanto, e nisso foi seguido por inúmeros outros chapadamente equivocados. Felizmente aqui está a quase nada pretensiosa San, fingerpointer de plantão, para apontar esse erro histórico, antropológico, and so.

Que consiste no seguinte, e aqui vai também uma confissão pública:  não somos nós, mulheres, as eternas sonhadoras, românticas, as criaturas que passam a vida a olhar o mundo com os olhos toldados por estrelas e coraçõezinhos, não. Essas criaturas são exatamente os homens.

Nós mulheres não temos tanto assim de romantismo. Queremos o quê? Vejamos: um homem bacana, que seja bem apessoado, paciente, responsável, bom provedor, bom pai para nossos filhos e, acima de tudo, fiel, fidelíssimo. Nossa sanha pela fidelidade é uma coisa pavorosa, sufocante, eu não aguentaria. Analisando com isenção de ânimo o que nós queremos -ou ao menos 99,9% de nós queremos- não tem nada absolutamente a ver com romantismo ou fantasia.

A gente quer segurança, garantia, conforto, estabilidade, fidelidade, acima de tudo fidelidade, meaning segurança, conforto, estabilidade. Nós somos as criaturas mais pragmáticas, frias e calculistas que o Supremo criou (volta a questão seria Deus um ser feminino? mas não agora).

Nós mulheres sonhamos com um casamento hollywoodiano, pelo qual todas as nossas amigas babem, um vestido assinado, um buffet perfeito, um homem que nos ofereça todo o descrito acima e principalmente, que nenhum ventinho venha a crispar por um segundo a superfície lisa e serena do nosso laguinho conjugal. Mas bah! Vamos nos catar!

Já o homem, esse ser interrompido, vem de fábrica com o estigma de provedor, mantenedor da espécie, coisas dessa magnitude, pobrezinho! Quer mais responsa que isso nas costas de um vivente? O cara nunca foi alçado da posição de troglodita até hoje. Trazer para a mesa o cotidiano javali, ou o pão, o iogurte, a coca-cola, a carne moída, o leite, whatever. Manter a espécie, mesmo que ao chegar em casa, exausto após um dia de infindáveis discussões e concessões e frustrações, dê de cara com uma dondoca ou uma trubufa estressada, mal humorada, mal amada, sem imaginação, sem solidariedade, cheia de adiposidades e os desejos de vingança que elas trazem? Uma verdadeira hárpia travestida de ezpouza? Ui, esse nome me arrepia. Esposa soa pior para mim que a própria hárpia, górgona, coisas assim.

Sendo que, o que ele quer? O que o homem gostaria de encontrar esperando por ele de braços (também) abertos? Nada de mais. Uma sílfide, talvez? Uma vestal dissidente da ilha de Lesbos? Uma lap dancer apaixonada, em seu biquinininho de spandex prateado, ansiando por lhe oferecer uma private session? Uma Fräulein Edelweiss, Sekretärin eficientíssima treinada pelo Reich que, por baixo do rígido tailleur preto e dos pesados óculos usasse fina renda chantilly, atravessasse a sala marchando sobre seus altíssimos stilettos de verniz, zunindo seu chicotinho sadô? Ou, quem sabe, uma Lolita irreverente, desafiadora, de unhas curtas, saia pregueada, sapatos de boneca, rabinho de cavalo, olhar desinteressado, mascando aquele chiclete odioso enquanto pula no seu pescoço, enlaça-o com os braços e as pernocas e lhe enche a cara de beijos lambuzados e estalados, esperando pela barra de chocolate em seu bolso?

Está vendo? Quem sonha mais? Quem é o romântico incurável nessa história (notem que usei história com h), quem é o especialista criador de fantasias? Não somos nós, minhas caras cumpanheras de gênero. São eles, esses pobres, maltratados e incompreendidos homens. Ah, mas o meu homem não é nada disso, é um bosta. Bom, amiga, aí a incompetência foi toda sua, sorry. Se um bosta foi o máximo que você conseguiu, reveja suas táticas. Vá aprender como conseguir o seu bom homem sonhador e trate-o direitinho. Você não imagina do que um sonhador bem treinado é capaz...

Kidding, meninos, just kidding. Vocês sabem que eu não posso perder a piada (e olha o chicotinho!).

Atualização: devido à perspectiva de uma assembléia para discussão aprofundada do tema, aqui vai o modelo do convite, dentro do espírito que tomaram os comments. Artistas frequentadores do blog sintam-se à vontade para intervenções.

43 comentários:

  1. Uau, harpias me dão calafrios! Belo texto, San!

    ResponderExcluir
  2. Com certeza, há o sonhar também no universo masculino, embora subliminarmente manifesto. A sociedade-família, em pricípio, tolhe este manifestar. Só às mulheres é de "bom tom" este expressar de forma assim aberta.
    Há muitíssimas coreografias do "superman", do frio-calculista, do insensível, do que não chora, etc. - alimentadas desde nosso berço por nossos pais e sociedade em geral.
    Até ficamos convencidos disto, em parte!!!
    Bj

    ResponderExcluir
  3. Textículo e tanto, San!
    Você vai longe, mas pegando um táxi eu te alcanço! Concordo com o Benett, em genero, número e degrau. Qui! Qui!

    Soruda san

    ResponderExcluir
  4. Ah, esqueci de referir que o "textículo" ficou ótimo, muito bem colocado-analisado, apesar de possíveis contestações de "alguns espécimes".

    ResponderExcluir
  5. Doc, é preciso quebrar o s grilhões, let yourself go... Bj

    ResponderExcluir
  6. Também aprecio os seus pequenos textos, Sol ;)

    Como diria a Angélica, vem de taxi, cê sabe, tou morrendo de saudade, ki ki

    ResponderExcluir
  7. Muitos obrigadas, Bebedor Profissional de Gondufo. Mas como vieste a dar com os costados por aqui, ó pá? Good também, good.

    ResponderExcluir
  8. Esta é a grande escritora a quem eu já me referi tantas vezes com entusiasmo. Leia todos os dias. Espalhe para todo mundo. Temos o privilégio de conviver com uma artista e comunicadora de aguda percepção e finíssimo senso estético. Inteligente, divertida, uma criatura adorável, para quem eu mando um abraço apertado, um suspiro dobrado,um beijo e uma jabuticaba.

    ResponderExcluir
  9. San querida, já me imaginava batucando um comentário sobre o seu texto
    quando, a abrir os comentários e ler o do Vítola gelou-me a espinha !! O que poderia eu dizer ? Depois dessas palavras do Vítola ? Eu ? Bem, então ficamos: belíssimo texto, de finura oswaldiana. Engraçadíssimo. E, suspirei, quando me passou pela cabeça que verdade rima com ambiguidade.
    Com a amizade do
    Dico

    ResponderExcluir
  10. San, acho que ocê acertou na mosca.
    Anteontem eu estava conversando com uma amiga e contei a ela sobre uma teoria que eu tenho já faz tempo: o homem, homem com H mesmo, nunca amadurece. Amadurecer é coisa para mulheres. O homem, por mais que tente disfarçar ao longo da vida, pula direto da adolescencia à velhice. O homem envelhece quando perde a vontade, ou a vitalidade, o tesão de aventurar, de sair por aí fazendo cagada. E é nesse momento que ele (nós) nos percebemos velhos. Daí a morrer é só um pulo. Não sonhamos com os quinze anos da neta, com o casamento dos filhos, com a foto junto ao primeiro bisneto, e que tais.
    Parabéns pelo texto. Na lata. Como sempre.

    ResponderExcluir
  11. Riva, amore mio
    então vai ver que, de tanto trocar emails com você, faz tempo que venho sacando sua natureza adolescente, hein? Thanks for helping me a decifrar vocês, meninos. Uma delícia ;)

    ResponderExcluir
  12. Para quem é dado ao rude esporte bretão apud. Nêgo Pessoa: 1 milhãox0.
    Parabéns, malvada. Com certeza viu "All About Eve (l)".

    ResponderExcluir
  13. Monsieur Dico
    verdade rima com ambiguidade, nesse caso acho que completamente. Nossa opinião sobre um assunto pode ser vista com diferentes nuances libertadoras, assim como uma tela exposta às variações de luz do dia, ela não muda mas nos toma de diferentes formas. Suspiros pra você também. E não ligue para as palavras do Paulinho, ele me conheceu quando eu era uma Lolita (e ficou mudo) logo, suas palavras estarão sempre sob suspeição, haha.

    ResponderExcluir
  14. Paulo Vitola
    meu poeta de primeiríssima grandeza, obrigada, obrigada, obrigada. Não mereço tanto mas vou pegar tudo assim mesmo, gulosamente. Vai que você pensa melhor e muda de idéia? Abraço dobrado, suspiro dobrado, beijo dobrado, jabuticabas, uma lata beeem cheia ;)

    ResponderExcluir
  15. San, my dear, sábias palavras, as usual. Eu concordo e endosso sua tese. Eu próprio sou um "teen"( actually six) incorrigível, sempre sonhando com acordes nunca dantes ouvidos ou melodias mágicas que façam os animais (e as ninfas) me seguirem pelas florestas até aquela clareira que não aparece no Google Maps, onde até a exaustão celebraremos a vida e a eterna primavera que todos nós merecemos.
    Beijos sonoros,
    Tio Piratta :)

    ResponderExcluir
  16. Wow! A 6teen pirate poet. Atacando de Midsummer night's dream, how about that? O Monstro de Lochjazz é cheio de surpresas! Gostei muito.

    E aí, vai musicar o meu jazz? Está valendo a oferta? Ainda mais agora, com esses eflúvios shakespeareanos, imagino o que poderá sair, hein?

    Beijo and don't be a stranger.

    ResponderExcluir
  17. Como o tema gera intermináveis contradições e concordâncias acredito que seja aconselhável a discussão em assembléia. Por enquanto - eu disse por enquanto - concordo com você, mas to planejando uma ida num fim de semana à Curitiba e,
    se você quiser, poderemos colocar em pauta os males que assolam a humanidade.

    ResponderExcluir
  18. Marco,
    Então todos os comentadores estão convocados para a assembléia, é isso? Okay. Onde que a gente se reúne? ;)

    ResponderExcluir
  19. Perfeito, você desvendou os mistérios do mundo masculino, e mexeu com a razão-emoção dos meninos (por enquanto??) eu gostaria de saber o dia e hora da assembléia para participar, poderia ser na clareira do Celsinho?? Delicia de texto San, mande o convite da assembléia!

    ResponderExcluir
  20. Na clareira do Celsinho é ótimo, com faunos e ninfas (e sátiros, eu conheço uns, acho) para se discutir os mistérios do mundo masculino. Nossa, vai ser uma noite sem fim, gloriosa... teremos músicos, poetas, artistas de toda ordem, um mais artista do que outro, disso eu tenho certeza haha. Vou mandar imprimir os convites ;)

    ResponderExcluir
  21. Por favor chama o Doc pra fazer as fotos dos ninfos-elfos artistas, estarei lá!!!

    ResponderExcluir
  22. Olha aí, Doc. Bola passada pra ti. E olha que o Doc é versado em fotografar natureza, principalmente viva, rsrs

    ResponderExcluir
  23. Acho que vou ter que me contentar em estar no lugar desse ideal e não debaixo do seu chicotinho. (Sigh).

    ResponderExcluir
  24. San,euzinha vai comentar seu post.
    Nossa,que assunto bão esse!
    Bom,não sei se é a minha ascendência germânica,mas nunca tive ideias romanescas a respeito desse ser chamado homem.Em tempo,antes que me coloquem uma botina,eu gosto,e muito de homem!
    Só que não espero prínicipes,lords ou coisa que o valha.
    Um que seja razoavelmente culto,educado,já está de bom tamanho.Não gosto de ser e nunca fui teúda e manteúda,de maneira que o papel de mantenedor não influi em nada,nadinha.
    Se eu puder conversar meia hora sem sentir vontade de ir tomar um arzinho,tá feito.
    Por é assim que funciona:você admira a inteligência de alguém,mas não entende como pode ser tão rude.Você admira o caratér dele,mas ele é tão démodé...E por aí vai.
    Você quer seu marido,namorado,ficante,sei lá,sempre por perto,mas,às vezes, é bom que fique longe.O mesmo acontece com eles:adoram a mulherzinha,mas quieta.
    Sentimentos não suportam tudo.Sentimento fatiado não existe,vem sempre junto a parte estragada.
    Pensando assim,ninguém se decepciona.
    Então,tá.
    Menina,cê assiste "Brothers and sisters"?
    Se não,quarta-feira é dia,no Universal Channel,
    23:00h.
    Tem um ator que não conheço,ma-ra-vi-lho-so!
    Aparece nesta temporada como o namorado francês
    de Sarah,uma das sisters.
    De tirar o folêgo!
    Esse não precisa ser mais nada,affeee...
    Beijos da loira.
    (Obrigada pelos elogios no outro post,ok?)

    ResponderExcluir
  25. Grande Louraça Belzebu, sempre com muita lata véia pra vender, como diz o meu amigo Salmazo. The French guy, o namo da sister, é o Gilles Marini, nascido em Cannes, como era doce o seu Francês, não Bia?

    Aqui o endereço eletrônico das fotos ousadíssimas dele só pra você
    http://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&rlz=1G1GGLQ_PT-BRBR365&q=gilles+marini&meta=&aq=0s&aqi=g-s1&aql=&oq=Giles+mari&gs_rfai=

    e aqui o site oficial dele http://www.gillesmarini.com/

    Divirta-se a apareça sempre, sua vikinga!!! Beijo e thanx pelo commentão, ótimo!

    ResponderExcluir
  26. Claro, San, as mulheres, são e serão sempre as donas dos corações dos homens. Todos nós sabemos disto, mas, às vezes, convenientemente esquecemos.

    ResponderExcluir
  27. I know what you mean, sweetie. I do. I heart you haha, always.

    ResponderExcluir
  28. Anônimo,

    se você aparecer na Clareira do Celsinho a gente te ajeita umas chibatadinhas, não precisa ficar suspirando ;)

    ResponderExcluir
  29. Quero que você entenda que:"Homem não trai"ele apenas constata!Não há outra forma dele saber se você é de fato a mulher que ele mais ama,se o pobre não sair sofrendo pelo mundo a fora para conhecer todas as que ele não ama!!!!È só uma questão de lógica.E pare de querer tanta fidelidade,isso vc só vai conseguir do seu aparelho de som digital e se for dos bons, caso contrário não espere nem dele,certo???bjs

    ResponderExcluir
  30. Zu, você como sempre totally right. Hi-fidelity is for sound systems. O único modo de você conseguir a fidelidade espontânea de um homem é:

    1) não ansiando por ela

    2) provendo esse ser romântico de toda a fantasia que ele for capaz de suportar. E olha que a capacidade dessas feras não tem limites. Você vai ter de rebolar (no pun intended) ahaha

    ResponderExcluir
  31. Veja só como esta temática mexeu cabeças.
    Impressionante!!!!
    Dava mesmo para fazer-se uma assembléia para este debate. Já vi até o cenário: de fundo bom jazz-blues rolando, vinhote (ou uísque) e tábua de queijos circulante e ambiente assim tipo jardim de inverno, com muito verde. Poderia até fazer o registro fotográfico, mas assim discretamente, sem flash - discretamente - para não quebrar o clima.
    BAH, SERIA LEGAL!!!!
    Antes que os abstêmios me crucifiquem, o álcool aí referido "não é para porre, apenas para soltar-fluir as idéias-sentimentos". E, sim, pode ter também água mineral com bolinhas para estes.
    BJ

    ResponderExcluir
  32. Adorei a idéia, Doutor!!! Muito mesmo. Podíamos fazer um evento assim, bem maçã, como dizíamos nos tempos de facu. Nossa, ia ser o máximo!

    Mandaste bem, Doutor! Partout c'est l'amour.

    ResponderExcluir
  33. Oie, minha querida

    Gostei (como de praxe) do seu texto, sobretudo das idéias (mas a forma sobrepõe-se ao conteudo, às vezes, etc e tal...) Eu sempre quote sua frase de que o que mulher quer mesmo é o iogurte na geladeira, e que se o varão de Plutarco, o homem da casa, não provê esse mínimo de dignidade láctea, merece um bom par de cornos... Tudo o mais é corolário dessa idéia-força, San...

    Beijo grande
    Rick's (apareçam...)

    ResponderExcluir
  34. É, vejo que você acatou integralmente a tese do iogurte, ela é bem boa mesmo haha Quanto ao resto não sei se entendi
    essa idéia-força... Beijo

    ResponderExcluir
  35. Acho que poderíamos deixar a clareira do Celsinho para uma segunda assembléia e embarcar nessa do Dr., ou voces vão prá clareira e eu vou na do Dr., depois voces me contam o que rolou na clareira, pode ser Dr.??...bjs

    ResponderExcluir
  36. Woa! A private midsummer night! Que as ninfas o protejam, Doc.

    Vai que é tua, Taffarel!

    ResponderExcluir
  37. Como está esfriando rapidamente, poderíamos quem sabe escolher local com boa lareira e um foguito ali crepitante de fundo sonoro-visual. Também é bom contexto para reflexões-debates. Até para outras cositas!!!!! he,he,he,,he,he
    Bj

    ResponderExcluir
  38. Uia! Agora a Fã tem um piti! Doc, és um sedutor de marca maior, oigalé! Muito bom, muito bom. O crepitar é indispensável e o friozinho vem a calhar, haha, curti... Bj

    ResponderExcluir
  39. Só de pensar já estou crepitando!!!Seria um magnífico contexto Dr. não tenha dúvida!!!!!!

    ResponderExcluir
  40. E la nave va... Bacana, bacana ;)

    ResponderExcluir

O que você acha?