sexta-feira, 30 de abril de 2010

Ciro Ropke


um lírio por fora
 primeiro 
doçura no cheiro
 por dentro 
cetim delicado melento
 no tato e no olfato
delícia de lírio 

formiga piquenta
no fundo na borda
ardida aplicada
pra lá e pra cá
no desce que sobe
só cuida o que sabe
que quer porque quer
o doce chupar

 formiga na flor
me coça de olhar
ai!

Não desista de mim. Vou cordon-bleuzar um pouco e já volto.

Depois de fazer um belo almoço (meu trivial é imbatível, digo sempre sem o menor constrangimento, e ainda achando isso um baita understatement) voltarei com umas milongas que escrevi dias atrás e ainda não postei. Legalzinhas até. Vemo-nos depois, então? Bom almoço pra você, embora não seja o meu. Tenho certeza de que você adoraria o meu feijão preto com costelinha defumada, arroz branco, farofa, carne refogada bife acebolado, mandioca frita, salada de alface e pomodoro. Tudo muito bem temperadinho, leve no azeite e no sal, just perfect. Com direito a suco natural de fruta à escolha.

Meu lado Amélie, que é uma Amélia à francesa, oooolala!

Aos comentadores de antiguidades

Queria dizer àqueles que comentaram posts mais antigos que dei uma geral e respondi a alguns comments, to some extent. Não fui até a fronteira final, mas irei.
Portanto pessoas que ainda estavam sem resposta por favor confiram, que eu acho o fim essa estória de comment não respondido, coisa bem antipatiquinha. Aliás peço o favor a quem ficou sem resposta, mande-me um aviso para que eu possa acertar a situação, combinado?

Gata pela tensão despencada.

Quando Burt Bacharach & Hal David compuseram essa canção eles não tinham idéia do que fosse, assim de verdade, the look of love. Não é, my love?

The look of love is in your eyes, a look your smile can't disguise. The look of love is saying so much more than just words could ever say. And what my heart has heard, well, it takes my breath away.

I can hardly wait to hold you, feel my arms around you... How long I have waited, waited just to love you, now that I have found you... you've got the look of love. It's on your face, a look that time can't erase. Be mine tonight, let this be just the start of so many nights like this. Let's take a lover's vow and then seal it with a kiss. Que lhe parece? Time can't erase that look. Certinho, não?


quarta-feira, 28 de abril de 2010

Manohead

Olha isto: a cãdidata Dilma figa, com auréola e rabinho,
sacada do Manohead, gurizão feríssima que eu acabo de descobrir. Vai lá, o cara é uótimo.

Oh, Benett!

Muito excelente.
Benetton irreverente, molecão, brilhante.
Um dos meus faves. Com ou sem boné.

E por falar em James Bond, uma Bond Girl pra vocês


Ursula Beautiful Andress. Oh! my dog, como eu quis ser essa mulher na vida! Nossa, ela era tudo o que eu achava que uma mulher devia ser. A mais fantástica das Bond Girls, Halle Barry que tire o pangaré da chuva naquela cena saindo do mar. La Andress é imbatível. Un-beat-able, know what I mean? Viajei muito me imaginando phoderosa like her, conquistando certos sujeitos inconquistáveis. I guess it eventually worked out, heehee. Cause you gotta have faith, como diz George Michael.

Quinze minutos de fama, não importa a filha

Patético, só isso que eu posso dizer.
Aquele senhor, former door-to-door salesman (aka mascate) que tem uma fábrica de camisetas cujo maior cliente é o PT, aquele que vive dando entrada em hospital, opera e sai, opera e sai, não larga a rapadura de jeito nenhum, esse mesmo, o tal do Vice de uns e outros, sabe? Pois então, o figura caiu no conto do telefonema de sequestrador. Um meliante ligou pro dito cujo, assim, na louca, na Cidade Maravilhosa, dizendo que estava com a filha dele, exigindo 50 mil merrecas.

Deu no Correio Braziliense:
"O telefone tocou e eu estava em casa sozinho. Era um cidadão dizendo que tinha sequestrado minha filha. Ele a colocou no telefone e eu tinha a segurança que era ela, por causa da voz. Ele pediu R$ 50 mil e eu disse que não tinha. Ele perguntou se tinha jóias em casa. Eu disse que não. Então ele perguntou: qual a atividade do senhor? Respondi: sou vice-presidente da República."

Rewind:
- Qual a atividade do senhor?
- Eu sou vice-presidente da República, responde de boca cheia e peito inflado o Vice, deixando em segundo plano, por uns quinze minutos, o sascuéstro da filha.
- Vice-presidente da República? duvida o sequestra.
- Isso mermo.
- Como é o seu nome?
- My name is Goms. José Alencar Gomes da Silva.
- Ô lôko, meu! Aquele que não morre nunca? Tô fora!

"Após confirmar o nome do vice de Lula e perceber a enrascada, o bandido encerrou a ligação." 

Reforço:
Após confirmar o nome do vice de Lula e perceber a enrascada, o bandido encerrou a ligação. Teve um choque de realidade.

Powra, que merda de dia! Peguei o mó nó cego do pedaço, caráleo!

Frase do dia


Frase: enviada pelo ligadíssimo Doc
Arte & Manha: San

Okay, 2h30 della madruga, hora do xampu. Tá um friozinho bem bom pra sair fumegando e se enfiar debaixo das cobertas, não? Até depois, então. Falamo-nos no café com croissants? Hasta!

Bacana essa foto de chuveiro, não? Eu achei. As mãos não parecem ser da guria, porém.
Não? Ah, que pena, disse ele com uma voz muito falsa.

E para os frequentadores do Nervosa na Madrugada

uma homenagem aos 50ões, 60ões e 70ões (agora que o Alfredo Pacino virou num) na estampa do dinoussauro ultracharmoso Mick Jagger, nos tempos em que seu bocão de Pedra Rolante Não Cria Limo perturbava muito o sono das donzelas. Olha só what a big T:
Let me whisper in your ear: Angie, I still love you baby, 
everywhere I look I see your eyes 
There ain't a woman that comes close to you 
(e a meninada ia à loucura, todas Angies)

terça-feira, 27 de abril de 2010

E para os que ainda creem no amor, o tango que eu dançaria com aquele que lesse meus pensamentos em Braille

Por una Cabeza, de Alfredo Le Pera, aqui performed by Al Pacino e Gabrielle Anwar 
graças ao arquivo mental do nosso produtor musical Rick Viana, de Todo Aquele Jazz
Quer saber tudo de jazz? Vai lá.

The Boczon the Table

Claudio Boczon acaba de enviar essa imagem com a legenda:
Não interessa como foi a farra... Volte pra casa sempre de cabeça erguida!

Puotz, tem artista que pensa e age assim, meu. 

Nova série: Declarações de Amor

Declaração 1

Meu amor
Esta manhã, ao sair para andar, tendo cruzado com um mecânico de automóveis que parecia muito aflito desde cedo e todo coberto de graxa, que me olhou rápida e ansiosamente e eu fiquei sem entender se ele gostou de mim e tentou me fazer ver que estava com uma bateria de carro nas mãos, portanto não podia me olhar mais demoradamente, ou se realmente não gostou tanto assim de mim -which I strongly doubt, of course- mirabolei a seguinte cena, uma daquelas pirações em que você embarca ligeirinho:

Eu te amo tanto tanto tanto que, se você fosse um mecânico de automóveis, e estivesse coberto de graxa  e eu chegasse na tua oficina pra dizer um oi, usando um costume branco, novinho em folha, assinado por Dolce & Gabbana, se eu chegasse assim e você me recebesse apaixonado, de braços abertos como sempre, e ao me abraçar escorregasse suas sábias mãos até meu derrière, e o agarrasse entusiasticamente, imprimindo ali a sua marca de graxa, e arruinando meu rico traje novo, o unico Gabbana que eu provavelmente teria, eu imediatamente pararia de te beijar e exclamaria:

- Ai! Que gostosura, amor! Adoro quando você faz isso.

Você então, gentil e atencioso como é, diria, com a sua voz adorável:

- Amada! Olha o que eu acabei de fazer no seu Dolce & Gabbana! Que cara desastrado!

E eu responderia:

- Nada, amor. Continua o que vocë estava fazendo, por favor.

Vocë então, com a barba mal feita cheirando a e óleo de cárter (bacana essa expressão), arranhando de leve meu rosto, me levaria as portas do Paraíso. E eu certamente desejaria que você tivesse um tempinho pra dar uma conferida tipo, na rebimboca da parafuseta, whatever.

Yes, sequitur!

Imagem afanada do blog Eu e Meu Chapéu
Na photô de Denise Casagrande:
Lee Swain, Roberto Grimaldi, ilustres seguidores deste blog, e Paulo Casagrande, 
nas dunas da bela Floripa do Vinamprex.

Atualização: foram acrescentados os devidos e honrosos créditos

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Jota A


Midia, segundo o excelente Jota A

Thanks & welcome

Olha aí a nossa Rose Araújo, do cartum beleza sobre o Doktor Sigmund mandando uma sessão na praça para o indigente. Muito bom. Valeu, querida. Você é uma graça. Duplamente : )

E dando continuidade à minha sanha photoshopesca, diretamente do Rio Grande do Sul, após dias e dias de chuvarada...

A foto é obviamente do Doc. A graça é da engraçadona aqui,
qui qui qui ©Solda

Ontem, 25 abril, bday do Al Pacino. Aqui chegado doze dias depois do Bardo, sete anos antes. Eu era apaixonada por ele. Até um belo dia.

Pobre Alfredo James, queria ficar parecido com o Paulo Francisco, primeiro e único. As if...
De nada adiantou, ele não sabe fazer poesia, mágica, nada.

Créditos:
Foto do Paulo Vi: Dico Kremer. Foto do Al Pacino: No idea. Arte: Solda. Photoshop & piração: San.

Thanks & welcome

Roberto Grimaldi, mais novo bravo seguidor do Nervosa. Muito obrigada, sinta-se em casa, como na casa d'Irene. Mas não se vá.
A casa d'Irene si canta si ride c'e gente che viene, c'e gente che va...

Curti muito Sol Pereda e Yardan. Muito me alegra figurar entre eles como uma blogger que você segue. Gracias, Señor Grimaldi.

JBosco

Eu tinha finalizado o assunto Bras-ilha Meio Século de Sacanagem 
mas não resisti a esse banquete de pizzas e panetones na excelente visão do Jotalhão
Mangia che te fa bene!

Décio Pinto e Armando Vara: duas personalidades conflitantes

Uma das brincadeiras favoritas da meninada no Country Club tempos atrás era ligar para o clube e pedir à telefonista para chamar ao telefone, via alto-falante, o Sr. Décio Pinto. 
Então ecoava pela vastidão do Graciosa, nas piscinas, nas quadras de tênis, na entrada do campo de golfe, everywhere, a voz contrariada da telefonista a anunciar:
- Senhor Décio Pinto! Senhor Décio Pinto! Telefone.

A situação era mais engraçada pelo fato de que a telefonista, apesar de saber da sacanagem, não podia se negar a executar o pedido. 

Hoje ao abrir o jornal eletrônico português O Expresso, dou de cara com a seguinte chamada, a confirmar como os deliciosos tugas tem nomes absolutamente inacreditáveis, mesmo para nós tugafônicos. Olha aí, o gajo é vice-presidente do Banco Comercial Português e, quenenque os gajos de aquém-mar, está com o pé no lamaçal (no caso, compra da TVI pela Portugal Telecom). Mas não perde a animação:
No site do Expresso
ACTUALIDADE
O administrador do BCP, Armando Vara, e da TVI, Bernardo Bairrão, assim como a anterior líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, são hoje ouvidos na comissão de inquérito parlamentar


My opinion: a contair pel nome du gaju, melhor não dair as costas a el, pá.

André Abreu

Variações sobre o tema Ovelha, do excelente cartumblog Jam Session.
Muito boa sacada do André Abreu, que fez aniversário ontem, 25 de abril, 
junto com o Al Pacino (convidaram o Al pra feijoada no Biras Bar? haha).
Duplo parabéns, André, que acaba de figurar no World Press Cartoon 2010 em Sintra, Portugal,
conforme conta no blog do Sol o mestre JotaBest

domingo, 25 de abril de 2010

Agenda cultural

Veja hoje no Boczon - Sweet Georgia Brown & Bye Bye Blues, ao compasso de um tratorzinho de fazenda. Muito massa.

Nóis daroça gostô munto, coreu deraide pavê ozome tocándo azguitara.

Dico Kremer

San, em Aljubarrota, no ano da graça de 1385, comandados por D. João I e pelo condestável Nuno Álvares Pereira, o exército português (com a ajuda inestimável da pérfida Albion no dizer de alguns) colocou em fuga os espanhóis. O dragão Coca despertado de seu sono secular acorreu em ajuda: transformou em palha o exército fugitivo.
Portugal, até o interregno da Restauração (1580-1640 ) e esta é uma outra história, livrou-se de Castela. De Espanha nem bom vento nem bom casamento.

Lembrete: antes do Kremer há um Medeiros.
Dico
P.S. Mas não esqueça: atrás de um nacionalista/patriota se esconde um grande velhaco!!!

A pérfida Albion é muito bom mesmo, curto. De Espanha nem bom vento, nem bom casamento. Diziam as más línguas d'antanho. Perguntem pra Melanie Griffith, haha.
E com que então temos um Medeiros? Pois, pois. Da terrinha tudo que vem me soa bem.
Quando eu era menininha vó Canda fazia pudim Medeiros sabor baunilha. Lembrança saborosa e perfumada.
Cheers! Sempre um momento Kodak  ;)  ter Mestre Kremer aqui no Nervosa.
Belíssima imagem, texto sempre instigante.

Psicanalista

No excelente blog Jam Session, que é bom até no nome pra essa jazz lover, os cartunistas desenham por tema proposto. Escolhi o tema Psicanalista e aqui os dois melhores na minha opinião, dois que fazem parte do Mérah da San e aí provam mais uma vez o porquê. E de quebra uma moça que eu fiquei conhecendo e vou prestar atenção pra frente.

Mestre Waldez se firmando como um dos meus favoritos. Visão brilhante, arguta, ele surpreende, atinge meu humor com uma precisão cirúrgica. Nossa, curto demais. Parabéns de novo, Waldez. Não esqueci da carica.

JBosco, o nosso JBest, outro da minha total admiração. Sempre uma boa referência, a mostrar o monte de informação que vai nessa formação artística, junto com talento e inteligência. Parabéns, Jotalhão do cartum.

E Rose Araujo, mandando muito benzão também, me parti de rir com a sacada da moça. Parabéns, Rose.

sábado, 24 de abril de 2010

Cesar Marchesini, il Magma-nifico

Eyjafjallajoekull, por Cesar Marchesini

tonhOliveira

Smile, por tonhOliveira

A ponta do lápis aponta o artista 
tempo tempo 
 o lápis do artista aponta o sorriso

Esse blog adverte: antes de fazer micagem com palavras certifique-se de que as mesmas estejam descarregadas. Não tente fazer em casa coisas do tipo: Aponte o sorriso. A ponte? O sorriso. Na virada do tempo, importa o tempo que se gastou sorrindo. Okay? Cuidado com os acidentes.

Não tenha preguiça. Os posts de hoje continuam em 'postagens mais antigas'. É que eu mudei o # de posts na página inicial pra aliviar o peso. Assim, posts novos aparecem como antigos. Ao contrário da blogueira, iei!

Cheers! Um brinde à eterna juventude de quem a tem,
de alguma forma

O humor negro da Força. Ou: entre bolivaristas e comunas fico com o imperialismo. Disparado. A palhaçada restrita à Disney World.


Cheguevara: imagem afanada do blog do Lee Swain, sessão A Turma do Chapéu

Amo muito esse cara

Flash de genialidade by Sol
(nosso amor, apesar da clavícula do Paulo Vi, qui! qui!)

Gentem, atente para o hipertexto (na minha concepção, Paulo Vi, tipo hierarquia dinastia dos anjos):
o defunto pode estar vivinho da silva, faltou assunto, a coisa tá morta.

Tributo a Claudio the Boczon the Table

Retrato do artista quando jovem (Portrait of the Artist as a Young Book)

Como assim, demolição???

 

sexta-feira, 23 de abril de 2010

E ele é de Capadócia. Salve Jorge!

Jorge sentou praça na cavalaria 
e eu estou feliz porque eu também sou da sua companhia.
Curto muito esse santo, olha que visu!
 Atualização: 
Sério, adoro a capadócia dele, a armadura, a lança, o cavalão. Isso é que é santo, não é essas coisas molambentas e andrajosas que tem por aí. Santo com presença, atitude, borogodó e molho, diria Simonal... puotz, essa eu desenterrei... Mil novecentos e naftalina. 

Simon Taylor

Como eu disse no blog do Simon, espero que a colcha do Tchutchuco Richa 
seja a nossa próxima coberta, depois daquele cobertor de campanha 
xexelento que a gente amargou por dois desmandatos.
E o Urtigão, com aquele visu choco-preto-e-branco, fó... nhonhonhonhó

*Este blog apóia Beto Richa para Governador e não pede propina nem cabide*

Lina Faria e San. A primeira uma artista respeitada, a segunda uma assumida demente

Foto: Lina Faria. Música: Milton De Lugg & Willie Stein
Tradução nonchalante: San, à la Bobby Meadow (olha a pretensão)
Só um pedacinho deste céu psicodélico,
fiquem querendo mais:

Ia muito na minha, totalmente à mercê
De um ceuzão laranja-colorê
Quando tcham! Bam! Alakazam!
Maravilha! surge você 


Let's sing along (tradução: tenta acompanhar se tu for bom pacará):

I was walking along, minding my business
 When out of the orange colored sky
 Flash! Bam! Alakazam!
Wonderful you came by
.
I was humming a tune drinking in sunshine
When out of that orange colored view
Wham! Bam! Alakazam!
I got a look at you
.
One look and I yelled: timber!
Watch out for flying glass!
Cause the ceiling fell in 
and the bottom fell out
and I went into a spin 
and I started to shout
I've been hit
this is it, this is it! 

I was walking along minding my business
When love came and hit me in the eye
Flash! Bam! Alakazam! 

Out of the orange colored, purple stripes,
Pretty green polka-dot sky
Flash! Bam! Alakazam!
Went the sky

Ey, Jaf! Jalla tomar Jokull!

Smoke and steam over the Eyjafjallajokull volcano glacier in Iceland, April 14.

Chiii, eu não devia ter xingado. Vai que esse volcano é parente do Wojallciechjowkullski,
da Barreirinha? Ele vai soltar fumacinha...

E, finalmente, acaba a semana de parabéns a Bras-ilha

Porque, ai, a Grobo atochou. Peço desculpas ao pessoal que nasceu, que reside em Brasília, que ama a sua cidade. O que me constrange sobre ela é ser exatamente o repositório de grandes safados. Isso não isenta outras cidades mas, Bras-ilha é a fronteira final da aspiração calhorda, o ícone supremo, vitrina de aleijões morais. Sinto muitíssimo pela idéia do Juça. Foi o dimonho que assoprô no zovido dele.
Voto com o Solda:

Thanks & welcome

Vendo avatarezinhos novos no yes-sequitur do Nervs: Suraya Sabbag (parente daquela turcada que toca jazz feito o Satanás? Whoa!), Ester, poeta do belo Manifesto Interno, e a belíssima criação do mestre Dico Kremer de la Kremer. Com licença: tô podendo... Muitíssimo agradecida a todos, grande honra.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Sponholz

 Spon, um dos meus fave arquitetos do cartum, disparado 

Precisa-se de comentador. Tratar neste blog. Não se exige prática

O candidato deve apresentar os seguintes requisitos:

- ser alfabetizado (se for gama-deltizado ótimo,
   melhor ainda se for kapa-lambda-sigma-tau-omeguizado)
- ser de maior (de maior confiança, de maior interesse, de maior consideração, etc)
- ser vacinado contra antipatia, chatice e mau humor (doses de reforço comprovadas)
- ser apreciador de abobrinhas e outras leguminosas textuais risotônicas (isso mesmo; sic; vai!)
- ser apreciador do Paulo Vitola (por supuesto) e de todos os nomeados para a tropa de elite do blog
- ser bom entendedor para o qual, se meia palavra basta, palavra inteira vale por discurso
- ser diplomado em leitura di nâmica e di outras línguas vivas e agitadas
- ser Diplomata do Itamaraty, mesmo que na intenção, aliás, só na intenção
   (ser fi-no, como diria vó Canda)
- ser assíduo ou assáduo, contanto que compareça todo dia diariamente (aceita-se cotidianamente)
- ser limpinho, arrumadinho, e se possível nem por isso ser pobre orgulhoso (irra!)
- ser anacrônico, anti-histamínico, amalgamado e outras coisas curiosas começadas por A, à sua escolha
- ser pro bonista, nunca pensar em comentar por dinheiro, seja este em forma de vil metal ou vil papel

Benefícios
Está brincando? Aparecer aqui, what else? Melhor que isso só papos de anjo de sobremesa (hmmm, disse ela, passando a língua vagarosamente sobre os beicinhos vermelhos, lambuzados de calda melíflua).

Seleção:
Quem comentar mais e melhor durante o período de uma semana a partir do 1º comment, será nomeado.

Boa sorte a todos. Avisamos que não haverá seleção por Q. I., compadrio, camarilha ou sedução (rats!).

Recados no Orkut:


22 de Abril Descobrimento do Brasil 
iei!!! Agora só falta a gente combinar o ano!!!
Quando decidirem deixem recadinho pra mim, blz??? 

22 de Abril. Alguém precisa urgentemente descobrir o Brasil, que está sufocando debaixo do pesado cobertor da ignorância

Grande Aroeira, saravá!

Olha o que eu achei googlando descobrimento do Brasil. Só, por favor, se você não encontrar zil erros, prometa a si mesmo que vai ler ao menos um bom livro este ano (por bom exclua-se Pauno Cuelho, tá?).

 Em 22 de abril de 1500 chegava ao Brasil 13 caravelas portuguesas lideradas [elas chegava?] por Pedro Álvares Cabral. A primeira vista, eles [quem?] acreditavam tratar-se de um grande monte [o quê? as caravelas?], e chamaram-no [chamaram o quê?] de Monte Pascoal. No dia 26 de abril, [vírgula?] foi celebrada a primeira missa no Brasil.

Após deixarem o local [que local?] em direção à Índia [à índia?], Cabral, na incerteza se a terra descoberta [qual terra?] tratava-se de um continente ou de uma grande ilha, alterou o nome [que nome?] para Ilha de Vera Cruz. Após exploração realizada por outras expedições portuguesas, foi descoberto tratar-se realmente de um continente [o quê?], e novamente o nome foi alterado [que nome?]. A nova terra [qual, powha???] passou a ser chamada de Terra de Santa Cruz.  

Somente depois da descoberta do pau-brasil, ocorrida no ano de 1511, nosso país passou a ser chamado pelo nome que conhecemos hoje: Brasil.

Então, assim, ao ler esse primor reforço minha convicção de que o pedaço do nome escolhido foi exatamente o errado. Isso aqui devia se chamar Pau. Ou então Um Grande Monte.

Happy Earth Day to you

Se eu fosse a Terra eu lhe diria hoje:
faça alguma coisa pelo nosso amor.
Tipo, re-ci-cle.
Dói isso, ó canalha?

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Ciro Ropke

Foto grafar. Des nudar. Desnudar a flor. Mostrar em detalhe o íntimo da flor? Ah, Doutor.
Uma língua? Que carnal superfície aqui a gotejar? Orvalho, suor, vai rolar. Escorrerá.
Lambida. Lânguida língua da flor. Fala: f-l-o-r. De maio. Desmaio. Fala a Flor oh, Doutor. Por quem sois?

Amo muito esse cara


falta fim
para um poema
que nasce à míngua

eu e estas palavras
não falamos
a mesma língua

T R D NT S, por tonhOliveira

Menina do anel de lua e estrela meets Poeta da lua e da estrela

Teve uma época da minha vida em que eu tinha fascinação por aquela meia-lua que aparece no céu ao lado de uma estrela. Tanto me encantava aquela imagem, que meus olhos eram depois atraídos pra tudo o que fizesse referência a ela, incluindo a bandeira da Turquia.

Nessa época surgiu Caê com Menina do Anel de Lua e Estrela, que eu fingi ser cantada para mim, pois que outra menina seria mais vidrada em lua-e-estrela? Nenhuma. Logo, eu tinha todo o direito àquele cantar. E aconteceu de eu encontrar numa vitrine um anel de lua-e-estrela muito lindo e delicado, que não sosseguei até que fosse meu. E olhava para ele em minha mão, cantarolando baixinho a frase

Menina do anel de lua e estrela...

Outro dia Paulo Vitola vendo no outro post essa foto do Almagnus, comentou que sempre havia apreciado a meia-lua de abril ao lado da estrela, que lembrava a bandeira da Turquia e tal...

E hoje ele me envia no comment essa coisa mais linda, que eu tenho muita alegria em postar aqui, com as observações dele, como seguem:
No mês de abril, vejo a meia-lua cruzando o céu da cidade como se fosse um barco feito de papel. Aquele que Rimbaud fez flutuar em uma poça, água perdida, única água que ele desejava ver em toda a Europa. Essa imagem me faz lembrar de uma canção minha que lembra Rimbaud, que lembra da meia-lua e de um barco a flutuar entre as estrelas.


Beba o velho barco bêbado de violinos
Até que naufrague
Afunde na cabeça
E te enlouqueça
Beba o céu de abril
Beba o céu de abril

 

Meu cavalo encilhado embranqueceu a noite
Morto de cansado
Perseguiu estrelas doidas borboletas
E depois dormiu
Na cama em que se acaba o mundo
Termina o caminhar do giz
Se sonha um sonho de menino
Se morre morto de feliz

Os poemas de Paulo Vitola me tomam de assalto assim como um conquistador toma de assalto um castelo, numa escarpa inexpugnável. É desse tanto o meu assombro diante da arte dele.

terça-feira, 20 de abril de 2010

E, como não podia deixar de ser, Paulo Vitola


Aqui, neste espaço,

que passo e repasso no olhar,

com tudo que a gente arruma

e a vida costuma arrumar,

uma verruma de aço

perfura a caixa de ar.

Voa um sanhaço onde foi a sala de jantar.

Seca o bagaço da fruta que não saberei.

Onde estive então?

Em que bonde estarei?


Sério, gente: tirante a minha tietagem, como não postar um primor desses? Olha bem pra esse poema, entende bem ele, capta os detalhes de ritmo, cor, intensidade, motivo, intenção e resultado. Sim, tem tudo isso nos poemas do Paulo Vitola, além do sonho. Como já disse e repito, ninguém faz como ele faz.

Afanado do blog do Sol, que detém a hegemonia sobre os poemas do meu poeta favorito entre os mais excelentes. Afaná-los-ei sempre. A não ser que outra providência se cumpra, tipo, eu usucapir todos os originais, hein? Sonhar não ofende, ofende? Aos ofendidos, as batatas, haha. Ei, eu ainda não terminei esse post, vou procurar uma imagem que está na minha cabeça maluca e volto já. Vão curtindo.

Blog de Roberto Prado. Ou: Como juntar-se a outros loucos e delirar como poucos

Então, fui até o Amplo Espectro do Roberto Prado, essa pessoa que tem, entre outras atribuições, a mais divertida de todas, que é ser cunhado de Don Luiz de Suelda Ortiga y Casset.

Em lá chegando tive prazeres e risos (o que pra mim é uma redundância) diante da loucura que esse indivíduo desenvolve com mais outros, igualmente insanos, escrevinhadores de alta qualidade.

Imagina você que eles empreitaram coisas banalíssimas como por exemplo traduzir O Corvo, do Pow! e As Flores do Mal, do Bode Lair. Todas as quatrocentas. Que eles reduziram a duas e lamba os dedos, what else?

Os caras são hilários, bons mesmo, a loucura é a tônica, bem do jeito que eu e o Diabo gostamos. Tipo, olha isto:


Poema de Arthur Rimbaud - livre adaptação de Marcos Prado e Sérgio Viralobos

no inverno, rosa, combinaremos
num vagãozinho com almofadas azuis
- um ninho só de cantos macios -
iremos e no bem estar estaremos

para não ver fecharás o olho
pela janela as caretas feias
essas mosntruosidades horrendas
negros demônios e negros lobos

e sentirás a face arranhada
um beijinho feito aranha desvairada
correrá pelo teu pescoço, minha cara

e dirás, "procure" inclinando a cabeça
todo o tempo do mundo à cata
desse bichinho que viaja depressa

Melhor você ir até lá e conferir, don't just take my word. Diversão garantida ou o seu dinheiro de volta. Desde que você pague alguma coisa, bem entendido.

Atualização: olha que coisa mais meiga:

e sentirás a face arranhada
um beijinho feito aranha desvairada
correrá pelo teu pescoço, minha cara

e dirás, "procure" inclinando a cabeça
todo o tempo do mundo à cata
desse bichinho que viaja depressa

 A quem interessar possa, adorei isso, quero muito isso!!!

Solda


Solda não é só cultura, humor, entretenimento e paixão. É, antes de tudo, filosofia.

E continuando minha saga de esperta descobridora da América, apresento-lhes Jota A, que passa a integrar minha tropa de elite

Espaço
por esse artista sensível e mui talentoso, que smartest San acaba de descobrir, o Jota A

segunda-feira, 19 de abril de 2010

For a couple of good reasons, vídeo dedicado a Nerviosa San y más quién quiera compartir

Thanks & welcome

Olha que chic este blog: só gente boa da melhor qualidade, como diz o nosso amor, Solda. Tonho Oliveira, esse artista excelente, entre os seguidores. E eu só felicidade.

tonhOliveira

Mais do Tonho no 6vqcoisa

Kremer meets Shakes. Perfect.

Foto: Dico Kremer

A violet in the youth of the prime nature,
forward, not permanent,
sweet, not lasting,
the perfume and suppliance of a minute;
no more.

Texto: William Shakespeare, in Hamlet

Acabar com essa baixaria Dilma vez: vamos pra Serra

Boa, Spon!

sponholz

El Bigodón todo prosa, duplamente campeão. Coisa boa, hein, Spon
O Spon é um arquinista. Ou um cartuteto. Seja como for, é fera.
Abraço, queridão. E muitos parabéns!

Cesar Marchesini, il Magnifico

Witchcraft, numa releitura muito Gavea Rock Frolic

Ciro Ropke

Doutor Ciro, de posse da sua Panasonic Lumix FZ35 (que ele carinhosamente chama Pana)
e mascando um punhado de centeio, fotografou o purple pink de um espécime floral
conhecido nos pampas como Histrionic Acid Psychodelia. 
Ou, se esse não for o nome, bem poderia. 
Waaalll! Viajei, Doc. Van Goghiano.

I'm off. Volto logo, stay tuned, love you guys : )

E para os corações apaixonados e contemporâneos, como o de myselfinha, Justin T, esse fofo, cantando me dê a chance (três, no máximo) de lhe escrever outra canção, a que eu responderia obrigada Justinzinho mas eu já me sinto insuperavelmente bem cantada, thanx anyway, cutie

Adeus, Lady Laura Moreira Braga

O Rei, em tempo de bota-fora do seu Pequeno Cachoeiro, no colinho de Lady Laura. Ontem, ao receber a funesta notícia, RC estava no Radio City Music Hall, NY. Longo caminho, e as coisas que perdemos pelo mesmo. Hoje, 19 de abril, o Rei está fazendo 69 anos. Sem parabéns. Sorry about that.

Bras-ilha: cinquenta anos de uma cidade artificial por excelência. Olho para aquilo tudo e penso: eu não queria ser o Niemeyer. Eu não queria ter o meu nome ligado a essa imagem. Eu, pessoalmente, sinto náuseas ao contemplar o que lá fora se chama brasilia lines and waves

Renato Maischato, do Bom Dia Brasil, comentando hoje cedo o aniversário de Bras-ilha, disse:

Eu nunca vi um céu tão profundo, eu nunca vi um céu tão... alto.

Explico, se me permitem: é que, sendo o céu o limite, os políticos deram um jeito de empurrá-lo para bem mais longe do que seria o seu normal. E conseguiram. Isso todos vemos, dia após dia, mesmo sem ir a Bras-ilha.

Bom dia a todos. Principalmente aos que não ganharam o Campeonato pois, para aqueles que como eu ganharam, o dia está sendo uma beleza já desde ontem.